A Pedagogia de Eurípedes Barsanulfo refletindo o pensamento de Jesus

Um pouco mais sobre Eurípedes e sua Pedagogia do Amor.

A Terra, como uma abençoada escola de provas e de expiações, está situada na categoria de mundo inferior. Nós, os espíritos que a habitamos, ainda carregamos em nosso íntimo as paixões como a violência, a agressividade, o egoísmo, o ódio, o ressentimento, o ciúme, a luxúria, a prepotência e o orgulho que nos revelam a nossa natureza primitiva. Como afirma Paulo, todos nós temos uma nuvem de testemunhas. Um séquito invisível aos olhos materiais que nos acompanha revelando nossa ignorância quanto às leis divinas.
Mas somos fadados ao progresso e à evolução. Daí o entendimento pela razão e inteligência da necessidade de desenvolvimento, fruto da educação integral do Ser.
Uma valiosa contribuição aguarda nossa aceitação desse processo com a compreensão dos ensinamentos gerados pelas experiências vividas no campo da Educação do Espirito trazidos ao primeiro Colégio Espírita em Minas Gerais, na pequena cidade de Sacramento, pelo magnânimo Espirito que ali se apresenta.
Após ter sido convertido ao Espiritismo na pequena cidade católica em que nasceu o professor Eurípedes Barsanulfo fundou a primeira Escola do Espírito dispondo-se contra todas as convenções sociopolíticas de sua época.
Ali, a convite de Maria, a mãe de Jesus, se dispôs a deixar-nos uma metodologia diferenciada de Educação porque seria baseada nos ensinamentos do Evangelho de Jesus.
Surge assim, em 1905, o Colégio Allan Kardec, fundado pelo Professor Eurípedes Barsanulfo. Mais tarde, em 1953, sua sobrinha Corina Novelino, fundaria o Educandário Euripedes Barsanulfo, um espaço maior que abrigava 300 crianças para serem educadas sob orientação do Mundo Espiritual. Tal unidade educacional serve de laboratório para a Educação do Espírito e permite o trabalho, a observação e a orientação a todos os interessados na Educação do Espírito.
Coincidentemente, nesse meio tempo estamos assistindo a Ciência da Educação avançar no Planeta. Pesquisadores percebem a importância de chegarmos a um mundo de paz com uma metodologia de ensino voltada à humanização chegando à convivência pacífica pela aproximação dos povos. Ao superar diferenças de raça e crenças, desponta a confraternização e a tolerância. Ao evitar as guerras, evidencia-se o progresso moral nas nações que buscam elevar os níveis de qualidade de vida no Planeta.
O relatório Jacques Delors produzido pela UNESCO em 1998 revela as novas diretrizes educacionais para a Educação do Milênio no Planeta Terra. Considerados em todas as instituições de ensino, caracteriza a busca por um mundo mais humano e mais justo. Sintetizadas as metas do processo educacional em aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a Ser.
Ao examinarmos esses valores percebemos que a lição XVII de O Evangelho Segundo o Espiritismo associa as características do Homem de Bem com as diretrizes da Educação para o terceiro milênio. No Evangelho encontramos a descrição de outro pedagogo, Kardec sobre as mesmas metas almejadas hoje para a formação do cidadão planetário. Ao analisarmos a indicação de Eurípedes para termos como meta em nossos grupamentos espíritas sentiremos que esse é o momento de promoção do ser humano a novos patamares de ação.

Fica o convite do Apóstolo da Caridade a repensarmos nosso papel de Espíritos Espíritas, capazes de refletir e agir como cristãos de um novo tempo.