skip to Main Content
A SALA DE ESPERA – PARTE 2

A SALA DE ESPERA – PARTE 2

É o som, é a cor, é o suor

 

Sala de espera. Sala de Pais.

Fim da terceira ou quarta música. Ou da passagem de um trecho clímax dos filmes Sociedade dos Poetas Mortos, o Milagre de Anne Sullivan (os quais foram mesmo reproduzidos nas seguintes preleções: Desenvolvimento da Autonomia dos Filhos e Orientação Vocacional, respectivamente). Ou, ainda, de um trecho da campanha de adoção Laços de Amor (tema: Filhos Adotivos).

Enquanto vejo-os (ou, melhor, revejo-os), os meus olhos coloridos me fazem refletir (*1).

Misturam-se emoções, sentimentos e musicais, com a alegria de ver cada pai, mãe, avô, avó, tio, tia, responsáveis e companheiros de jornada, interessados no pão espiritual, e não em circo. Bem diferentes das “pessoas da sala de jantar” (2).

E é um pouquinho engraçado

este sentimento aqui dentro…

eu não sou do tipo

que consegue disfarçar sentimentos.

Eu sei que não é muito

mas é o melhor que posso fazer

Bem, alguns dos versos

me deixaram bastante confuso

Veja só, eu esqueci

se os meus sentimentos são verdes ou se são azuis

Mas tanto faz, porque o que quero mesmo dizer

É que incendeia um edifício inteiro

E como a vida é maravilhosa

com você nesse mundo (3)

 

Como um encontro marcado, você veio. Braços abertos “para você que (não) esqueceu…aquele abraço” (4). 

Saúdo a todos.

Bommmm diaaaaa!!!!! “Como vai, tudo bem? Apesar, contudo, todavia, mas, porém…” (5), apesar de saber que “o tempo acelera e pede pressa” (6)…indago… conseguiram refletir e pensar sobre a nossa preleção do domingo passado? Sempre faço votos que sim, que tenham até exercitado os ensinamentos, com boa vontade, perseverança e fé, como “um certo dia um homem que esteve aqui” (7) nos ensinou.

Apesar de saber que “o mundo vai girando cada vez mais veloz…será que é  tempo que lhe falta para perceber?” (6) que “ainda há tempo de plantar” (7).

Convido a todos para fecharmos os olhos a fim de iniciarmos a nossa prece de preparação. Mentes serenadas. Corações ao Alto.

Peço licença para me apropriar de algumas das letras das músicas escutadas (os versos abaixo foram extraídos das seguintes canções: Cara de Família – Padre Fábio de Melo; O que será (À flor da pele) Chico Buarque e Milton Nascimento; Primeiros Erros – Kiko Zambianchi e Capital Inicial. Tema do dia da Sala de Pais: “Os vícios e a família”).

 

“Minha mãe me disse umas coisas
Sobre os ódios do meu peito
Disse que o ódio que se guarda
Vai matando só quem sente

 

E se um dia eu pudesse ver
Meu passado inteiro
E fizesse parar de chover
Nos primeiros erros

E o que será que está na fantasia dos infelizes

que nem mesmo todos os avisos não vão evitar

O que não tem limite, o que não tem tamanho, medida ou juízo,

Porque todos os meninos vão desembestar,

O que será que dá dentro da gente que não devia

Que é feito uma aguardente que não sacia
Que é como estar doente de uma folia

Por que todos os tremores me vêm agitar, todos os ardores me vêm atiçar
todos os suores me vêm encharcar
Que todos os meus nervos estão a rogar
Que todos os meus órgãos estão a clamar
E uma aflição medonha me faz implorar
O que não tem conserto, nem nunca terá

O que não tem remédio, nem nunca terá,

Será?

Porque todos os risos, um dia, vão desafiar

E o meu corpo virará sol
Minha mente… virará……. sol.

E imaginem…esse sol a iluminar os seus pensamentos, trazendo um momento em que você sorriu por amor a si mesmo e pelo próximo…e o sol entra em seu coração, aquecendo-o…para receber alguém especial, o nosso querido mentor espiritual…”

E assim caminha a preparação…

Que se finda com a prece para auscultar o coração acalentado de um pai: Pai Nosso que Estais no céu…na voz doce de uma criança (8).

Agora, “deixe-me ir, preciso andar…” (9). 

Pois é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida (10)

E quanto ao você, caro leitor, que teve a paciência de chegar até aqui: “Andá com fé…que a fé não costuma faiá” (11).

Aquele abraço…

Hélio Yogi

Núcleo Assistencial Espírita Terceiro Milênio

Regional SP Leste

 

*Referências (parte das letras das músicas abaixo foram utilizadas no texto):

  1. Olhos coloridos – Sandra de Sá
  2. Panis et circenses – Mutantes
  3. Your Song – Elton John
  4. Aquele abraço – Gilberto Gil
  5. Saúde – Rita Lee
  6. Paciência – Lenine
  7. O Homem – Roberto Carlos
  8. Meu filho Daniel – Compositor: O Criador, Intérprete: Eu
  9. Preciso me encontrar – Cartola
  10. Maria, Maria – Milton Nascimento
  11. Andar com fé – Gilberto Gil
This Post Has One Comment
  1. Quanta sensibilidade, articulação e profundidade! Parabéns Hélio! Seu texto é um convite melodioso a reflexão e a ação do evangelizador na sala de pais!
    Maravilhoso! Obrigada por compartilhar sua inspiração!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top