skip to Main Content
Conflitos

Conflitos

Continuando com as temáticas dos conflitos e da paz, hoje, em nossa coluna Momento literário, apresentamos dois poemas que podem ser utilizados em aulas com as crianças e, porque não, com os adultos, também.

O primeiro é de Olavo Bilac (Rio de Janeiro, 1865 – 1918), que foi escritor e poeta parnasiano. Um de seus livros – Poesias infantis¹ – contém poemas para crianças. Nele encontramos o texto a seguir:

 

A boneca²

 

Deixando a bola e a peteca

Com que inda há pouco brincavam,

Pó causa de uma boneca,

Duas meninas brigavam.

 

Dizia a primeira: “É minha!”

– “É minha!” a outra gritava;

E nenhuma se continha,

Nem a boneca largava.

 

Quem mais sofria (coitada!)

Era a boneca. Já tinha

Toda a roupa estraçalhada,

E amarrotada a carinha.

 

Tanto puxavam por ela,

Que a pobre rasgou-se ao meio,

Perdendo a estopa amarela

Que lhe formava o recheio.

 

E, ao fim de tanta fadiga,

Voltando à bola e à peteca,

Ambas, por causa da briga,

Ficaram sem a boneca…

O segundo poema é de nosso colaborador, Marcelino Vargas:

A raposa e a ursa

A raposinha e a ursa,

Amigas de longa data,

Andavam juntas na mata,

Uma ao lado da outra.

Falavam a mesma língua,

Gostavam das mesmas coisas.

Eram muito unidas.

 

Um dia, por uma coisa à toa,

Uma rusga surgiu entre elas.

Uma acusava a outra,

Outra acusava uma.

Ficaram rivais.

 

A sorte nem sempre

Sorri para todos.

Os tempos difíceis chegaram.

A raposa faminta,

Rastejava pela relva.

Encontrou quem a acolhesse,

Quem lhe desse abrigo e comida.

 

Mas o que não sabia

É que o novo amigo,

Um velho lobo caçador,

Um pesado preço exigia:

A pele da jovem ursa

Pra fazer um cobertor.

 

Em companhia da matilha,

A raposinha marchou.

Encontrou a antiga amiga

Em situação também ruim,

Muito enferma, em sua gruta,

Temendo por seu fim.

 

 

Lembrou-se a raposinha

De tantos momentos felizes

Vividos com sua amiga,

Das brigas que tiveram,

Do que juntas aprenderam.

Olhou para os lobos bravios,

Depois para a amiga ursa

E ficou parada entre eles.

 

O velho lobo não hesitaria

Em atacar as duas.

Porém, num instante de lucidez,

O grupo parou para ouvir

O que a ursa tinha a dizer.

Que se juntassem as forças,

Todos podiam sobreviver.

 

Então, daquela hora em diante

Ursa, raposa e lobos

Buscaram os outros bichos.

E se ajudando uns aos outros,

Começaram a construir

Uma floresta de paz.

 

E então? Planejou mentalmente uma aula, utilizando um destes poemas? Conte pra gente, será um prazer ler seu comentário.

 

Equipe editorial da Evangelização Infantil

 

¹ Disponível em https://www.literaturabrasileira.ufsc.br/documentos/?id=136254 (último acesso em 15/04/2022)

² Disponível em https://www.unicamp.br/iel/memoria/Ensaios/LiteraturaInfantil/aboneca.htm (último acesso em 15/04/2022)

 

 

 

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top