skip to Main Content
Menino Daniel

Hoje, em nossa coluna Momento Literário, uma história para ser contada às crianças… e porque não, aos pais, também!

MENINO DANIEL

Hoje vou contar pra vocês a história do menino Daniel. Sim, eu sei… Há muitos meninos chamados “Daniel”. Mas esse Daniel, em especial, estava deixando sua mamãe bastante preocupada porque ele reclamava de TUDO!!!

Se tinha lição da escola pra fazer, se tinha prova, se não era possível brincar, se não tinha carne no almoço… Sempre tinha motivo para alguma reclamação.

Um certo dia de muito frio, o menino Daniel levantou muito contrariado, reclamando de ter que tomar banho no frio, de ter que sair de casa no frio, de ter que estudar no frio. Dizia ele: frio para quê? Sua mãe tentava acalmá-lo:

– Daniel, meu filho… De que adianta tanta reclamação? Afinal, se eu dissesse para você ficar em casa, o que você faria?

– Muito melhor ficar em casa nesse frio, mamãe. Ficaria embaixo do meu cobertor, assistindo aos meus desenhos preferidos! E ainda pediria para você fazer pipoca e chocolate quente… Hummm, que delícia!

A mamãe de Daniel fez, então, outra pergunta a ele:

– E se em lugar de ficar em casa, eu te levasse para chupar sorvete? Você iria adorar, não é? Você ama sorvete!

– Mamãe, claro que não, né?! Sorvete nesse frio??? Eu gosto de sorvete no calor!

Diante da resposta do menino, a mãe sentou-se bem pertinho dele, passou o braço em volta do seu pescoço e disse:

– Então, meu filho! Preste bem atenção… Nada é totalmente ruim! No frio, pode não ser muito legal ir para a escola, sair de casa, mas é maravilhoso para tomar um chocolate quente… E o calor já não é uma estação em que queremos um chocolate quente, mas em compensação ir para a praia, chupar um picolé bem gostoso, é maravilhoso, não é mesmo?

O menino Daniel só balançou a cabeça concordando com a mãe e continuou prestando atenção.

– Quando a gente reclama demais, não vemos o que tem de bom no que acontece com a gente. Você reclama de ir para a escola, mas muitos garotos da sua idade passam por dificuldades e não podem ir… Você reclama do almoço, algumas vezes, mas você sabia que muitos passam dias sem comer quase nada? E olha… eu me lembrei de uma história acontecida com Jesus. Você quer ouvir?

– Quero, mamãe – disse o menino Daniel.

– Conta-se que Jesus e seus apóstolos caminhavam, certo dia, por uma estrada e acabaram encontrando um cachorrinho que já estava morto há vários dias. Por conta disso, seu corpo já estava se decompondo e tinha um cheiro bem forte e ruim. Os apóstolos, sentindo aquele cheiro, afastaram-se. Jesus fez o contrário: aproximou-se do cachorrinho, abaixou-se junto dele, e olhando-o bem de perto, falou: “Que belos dentes ele tinha!”

A mamãe fez uma pausa e perguntou ao Daniel:

– Você conseguiu entender o que essa historinha tem a ver com o que estamos conversando, meu filho?

– Eu acho que sim, mamãe… Muitos perceberam o que havia de ruim no cachorrinho, mas Jesus, no meio de tudo isso, ainda achou algo bom que havia nele: os dentes!

– Isso mesmo, meu menino! A partir de agora, eu quero que você sempre se lembre dessa história de Jesus quando tiver vontade de reclamar de alguma coisa. E eu quero ainda fazer mais um pedido para você. Vamos fazer um acordo! Se em algum momento você reclamar de alguma coisa, vendo algo ruim, para cada coisa ruim que você perceber, deverá encontrar alguma coisa boa também. Combinado?

– Mas, mamãe! E se eu não conseguir?

– Meu filho, se você não conseguir, pede para Jesus ajudar você a enxergar… E eu também estarei sempre aqui para ouvir e fazer com que enxergue de outra forma.

Dizendo isso, a mamãe abraçou Daniel com muito carinho. A partir daquele dia, o menino nunca mais esqueceu da história de Jesus e sempre que tinha vontade de reclamar de alguma coisa, acabava pensando mais antes de falar.

De alguma forma, todos nós acabamos sendo igual ao menino Daniel: reclamamos muito! E se reclamamos demais, ficamos mal-humorados, de cara fechada, insatisfeitos… E aí tudo parece chato! Por isso é que precisamos fazer como a mamãe do Daniel ensinou, ou seja, tentar olhar para aquilo que reclamamos e enxergar algo de bom. Afinal, nada nessa vida é completamente ruim, basta a gente se esforçar para ver algo proveitoso.

Quando isso acontece, sorrimos mais do que choramos e nos divertimos mais do que emburramos… Tem tanta coisa legal para fazer, por que gastar tempo ficando de mal com a vida? Se a gente não conseguir ver coisa boa, vamos orar para Jesus que Ele nos ouvirá, iluminará nossos olhos e nosso coração para dar mais importância ao que acontece de bom com cada um de nós.

 

Marcus Paulo Rios Fávero

Casa Alvorada Cristã / Cosmópolis

Regional Campinas

Ilustrações: Marcelino Tristan Vargas

This Post Has 5 Comments
  1. Maravilhoso ensinamento, maneira lúdica e cheia de verdade e delicadeza. Como sempre, textos de qualidade e iluminativos!! Gratidão!!

  2. Linda história. A vida é linda e maravilhosa, só temos que saber onde olhar, seguindo os exemplos do Mestre vamos sempre ver beleza em tudo.

  3. Linda reflexão, para olhar nosso dia a dia com amor, com o olhos da alma, mostrar as pequenos que até nos momentos que parece “chato” estamos aprendendo algo.

  4. Linda, emocione e verdadeira essa históriia. E o escritor é o exemplo vivo da pessoa que não reclama de nada e tem sempre um olhar para o bom e o bem com os quais Deus, em sua infinita bondade, nos presenteia todos os dias. Pois bem, sou suspeito para dizer qualquer coisa sobre esse escritor, meu filho amado. Agradeço ao nosso Pai Celestial todos os dias pela graça recebida: a oportunidade de ser seu pai. Te amo meu filho para todo o sempre. Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top