skip to Main Content
O Desabrochar Da Consciência

O desabrochar da consciência

“O desabrochar da consciência é um trabalho lento e contínuo, que constitui o desafio do processo da evolução. Inscrevendo no seu âmago a Lei de Deus, desenvolve-se de dentro para fora a esforço da vontade concentrada, como meta essencial da vida” (1)

 

Na visão espírita, uma das finalidades da reencarnação é a afetividade que constrói laços imutáveis e inabaláveis para o crescimento espiritual. Assim atingimos o autoaprimoramento, que é o encontro com Deus.  Alcançar esse nível de compreensão é colocar-se num processo de despertamento das potencialidades adormecidas que aguardam por estímulos. Quando o indivíduo identifica que é amado, protegido, ouvido, respeitado e orientado, fornece subsídios valiosos para o evangelizador e, por outro lado, torna-se passível de receber e experimentar novos aprendizados, que permitem adquirir determinadas qualidades que podem ajudar no seu adiantamento, não apenas para esta vida, mas para a sua própria evolução espiritual.

 

Quando então tratamos da Evangelização Infantil, é preciso considerar a forma consciente das ações educativas sobre o caráter formativo moral cristão, como a referência a Jesus em João 1:14 : “E o verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e verdade”.

 

Dessa forma, é imprescindível reconhecer que o aluno é o sujeito ativo. Cabe ao Evangelizador, que detém o conhecimento do conteúdo que será ensinado, promover incentivos que permitirá à criança ou adulto construir o saber através da vivência criativa. Isso facilitará a sua percepção e compreensão de forma motivada e, portanto, aguçará o desejo de aprender. Segundo Paulo Freire em seu livro Pedagogia da Autonomia, “ensinar não é transferir conhecimento, mas criar possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção”.

 

Este cenário exige um olhar para o aspecto do processo de aprendizagem do ser humano, tendo em vista que cada ser tem uma forma de aprender, seu tempo e ritmo. Dessa forma, se faz necessária a busca por diversos recursos pedagógicos (2) que facilitem a aquisição do conhecimento. Neste contexto, um dos recursos utilizado é a técnica da ludicidade (3), que é uma das formas criativas da didática do ensino e que favorece a absorção das informações com excelência e prazer, uma vez que tudo chama atenção.

 

Pensando nisso, hoje iremos propor uma reflexão sobre aplicação de mídia educativa através de filmes. Tal recurso nos ajuda a desenvolver o processo reflexivo, a capacidade de observação, a interpretação do mundo e desperta empatia, na medida em que a criança ou adulto se coloca na situação do filme. Aproximando à realidade, permite a maior facilidade na fixação do conteúdo e consequentemente uma aprendizagem mais efetiva, isto é, a criança ou adulto poderá empregar esse conhecimento em qualquer situação do dia a dia.

 

Vamos verificar como isso acontece na prática. Que tal promover o momento Cinema na Evangelização Infantil? Já pensou em apresentar o Filme Viva! A vida é uma festa? A história traz como temática o espiritismo e os ensinamentos para as crianças. A aventura se passa no México, com inspiração do tradicional Dia dos Mortos. A narrativa está em torno do personagem Miguel, um garoto de 12 anos que tem um sonho de se tornar músico, mas precisa lidar com a sua família, que desaprova esse sonho. O filme mostra um dos conceitos da doutrina espírita – na comunicação de encarnados e desencarnados – quando personagem recebe conselhos para uma vida melhor.

O Evangelizador, neste ambiente educativo, pode promover reflexões com base neste conceito do Evangelho de Jesus e da doutrina espírita, como podemos observar no diálogo entre a evangelizadora e o evangelizando(4) Eduardo (5):

 

Evangelizadora: O mundo dos mortos. O que você entende?

Eduardo: Quando alguém morre no mundo dos vivos, vai para o mundo dos mortos.

 

Evangelizadora: Qual a importância da família para você, nas decisões que você tem?

Eduardo: Eu sigo conselhos da família.

 

Evangelizadora: Fale para nós, quais as partes do filme ou cena que você mais gostou? Explique.

Eduardo: Quando o Miguel canta a música Poco loco. Porque a música é legal e ele mostrou o talento dele.

 

Evangelizadora: O Miguel do filme tem 12 anos e ele quer ser músico, mas a família dele não aprova. Miguel provoca várias situações que mexeu até com os antepassados, pela cultura do México. A partir daí ele consegue unir a família no presente. A minha pergunta para você é: O que você tem vontade de ser quando você crescer e como você pensa isso com a sua família?

Eduardo: Eu gosto de desenhar e gostaria que minha família aprovasse.

 

No momento em que a Evangelizadora utiliza tal recurso didático, ela transfere seus conhecimentos que estão expressos no filme para a realidade do evangelizando. É importante lembrar que nenhum material didático, por mais bem elaborado que seja, poderá garantir por si só o processo de aprendizagem. Ele cumpre a função de mediação. A apresentação de um filme ser interrompida, para que o diálogo se faça e o evangelizador acrescente o conteúdo da aula, permitindo a construção do conhecimento doutrinário de forma mais prazerosa e reflexiva. Paulo Freire afirma, em seu livro Pedagogia da Autonomia, que “as palavras ensinadas a que faltam a corporeidade do exemplo valem pouco ou quase nada”.

 

É inquestionável o fascínio que nós sentimos ao vivenciar o autodescobrimento, como citado por Amélia Rodrigues: “A criança é sementeira que aguarda, o jovem é o campo fecundado, o adulto é seara em produção. Conforme a qualidade da semente, teremos a colheita” (6).

 

Ivone Sanabria

Casa Alvorada Cristã

Indaiatuba – Regional Campinas

 

  1. Adaptado de FRANCO, Divaldo, pelo Espírito Joanna de Ângelis. Autodescobrimento: uma busca interior.
  2. “Recursos pedagógicos são, todas e quaisquer, ferramentas que integrem o momento e o ambiente de ensino, proporcionando a aprendizagem.” (blog ProfAntenado)
  3. A técnica da Ludicidade é importante ferramenta para o desenvolvimento cognitivo, emocional, social e psicológico.
  4. Evangelizando é o nome que se dá ao aluno da Evangelização Infantil.
  5. Eduardo Sabatine Ambrósio Silva, de 10 anos, da turma do Intermediário, da Casa Alvorada Cristã, do município de Indaiatuba, interior de São Paulo.
  6. Adaptado da Mensagem: Evangelização, desafio de urgência, Espírito: Amélia Rodrigues, psicografia Chico Xavier.

 

Referências:

Evangelho de João 1:14

XAVIER, Francisco Cândido, pelo espírito Emmanuel. O Consolador.

SANTOS, Ovídia Kaliandra Costa (Graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia – FECR; Graduanda em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Campina Grande -UFCG). Texto Recursos didáticos: Uma melhoria na qualidade de aprendizagem.

SILVA, Dayane Fernandes da. Texto Ludicidade no processo de aprendizagem: Uma análise sob a visão dos educadores infantis. Universidade Federal da Paraíba.

https://radioboanova.com.br/disney-lanca-filme-com-tematica-espiritualista/

http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/profunc/equip_mat_dit.pdf

 

 

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top