skip to Main Content
União Pelo Sentimento Religioso

Aconteceu na mesma semana: um atentado ao recinto sagrado de uma igreja brasileira, uma revelação de inaceitáveis situações envolvendo famoso médium, um ataque iconoclasta a uma singela árvore de Natal em um shopping europeu e uma marcha de neonazistas contra semitas. O que está acontecendo conosco?

Pode ser que estejamos em meio a um plano astutamente articulado para desautorizar as atividades religiosas, em todo o planeta. Combinando-se isso com o incentivo ao confronto violento de ideias e opiniões que se generaliza pelas redes, obtém-se, como resultado, que as pessoas evitem toda e qualquer atividade religiosa.

Mais de uma vez afirmamos que as religiões da Terra não são adversárias umas das outras. O inimigo comum a todas é o materialismo, a descrença, a falta de fé e de esperança.

Precisamos nos unir e evitar a predominância do materialismo. Não deixemos de ir ao centro espírita, buscando um ambiente sadio e respeitoso para elevar os pensamentos às forças superiores do Bem. Mas também incentivemos a nossos amigos para que não percam o hábito de frequentar os templos de sua convicção.

Vamos elogiar e apoiar a frequência de nossos amigos e colegas à missa matinal ou noturna, ao culto evangélico, à guarda do sábado judaico,a prática das várias orações diárias do Islã, a participação nos cultos de matriz africana ou de origem oriental.

Precisamos fortalecer a expressão da fé por parte de todas as pessoas de nossas relações com quem mantenhamos algum espaço respeitoso de diálogo para tanto. E evitemos qualquer tentativa de proselitismo para a Doutrina Espírita, pois isso não constrói.

Notemos que os atos tresloucados de ódio e violência decorrem, em geral, do incentivo mútuo entre pessoas nos dois planos da vida. Em tais casos, encarnados e desencarnados alimentam uma espiral de desequilíbrio que leva à consecução dos maiores absurdos.

Vamos manter a coragem de exercer nossa religiosidade e vamos apoiar nossos irmãos de todas os credos a fazê-lo também.

O Diretor Geral da Aliança

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top